Utilização de ozônio para aumento de eficiência de motores flex-fuel

Chamada Pública 01/2020 - Linha V


Situação: Em Execução



Aporte Fundep: R$ 998.665,25



Início: 06/01/2021



Duração: 36 meses


  • ICTs: Universidade Federal de Santa Maria – UFSM
  • Empresas: Marelli Sistemas Automotivos
  • Coordenador Geral: Mario Eduardo Santos Martins
  • Eixo: BIOET
  • Chamada Pública: 01/2020
  • Contrapartida Econômica: R$ 2.842.080,00
  • Fundação de Apoio: Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – FAURGS

  • OBJETIVO GERAL:

Motores de combustão interna (MCI) mais eficientes e menos poluentes são requisitos para atender as rigorosas legislações de emissões veiculares que visam diminuir CO2 e melhorar a qualidade do ar urbano. Nesse contexto, MCI operam normalmente em carga parcial em áreas urbanas principalmente devido ao trânsito intermitente. Entretanto, MCI com ignição por centelha tem considerável redução da eficiência térmica devido ao estrangulamento causado pelo controle de carga.

Uma das maneiras utilizadas para reduzir essa perda é preencher o cilindro com gases residuais e/ou diluição com ar. Vários estudos foram realizados utilizando sistemas avançados de evento de válvulas visando diminuir as perdas por bombeamento e aumentar a eficiência do motor. Contudo, especialmente em condições de baixa carga, a alta concentração de gases residuais causa a deterioração da combustão e resultam em instabilidades de operação, que podem ser ainda maiores dependendo da mistura de combustíveis em operação flex-fuel. Baseada nisso, a adição de ozônio tem se mostrado eficiente como um melhorador de ignição em algumas aplicações pontuais.

Dessa forma, este trabalho realizará estudos envolvendo simulação computacional e experimentação dinamométrica para caracterizar a influência do ozônio como potencial agente do aumento da eficiência em um moderno motor de combustão interna flex-fuel operando, principalmente, com etanol.


Marelli