Maximização da tecnologia “Flex Fuel”: Desenvolvimento de um reformador integrado ao catalisador automotivo para incremento energético do etanol

Chamada Pública 01/2020 - Linha V


Situação: Em Execução



Aporte Fundep: R$ 999.733,00



Início: 15/02/2021



Duração: 32 meses


  • ICTs: Pontifícia Universidade Católica de MG – PUC/MG; Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG
  • Empresas: FCA Fiat Chrysler Automoveis Brasil; Umicore; Marelli Powertrain; Marelli Exaustão
  • Coordenador Geral: Sérgio de Morais Hanriot
  • Eixo: BIOET
  • Chamada Pública: 01/2020
  • Contrapartida Econômica: R$ 1.345.927,52

  • OBJETIVO GERAL:

Este projeto tem como objetivo  o desenvolvimento de uma tecnologia de reforma de etanol para veículos Flex Fuel, que consiste no desenvolvimento de um dispositivo que abrange um novo design de catalisador automotivo para integrar um reformador, que permitirá a redução da diferença de rendimento energético entre o etanol e a gasolina.

Além disso, objetiva determinar quantitativamente as melhores frações de etanol a serem injetadas no reformador em função das condições térmicas e elementos catalíticos aplicados, para operação e projeto deste, além da definição de parâmetros de funcionamento em motores Otto, que  garantam um aumento da eficiência energética, com produção in situ de hidrogênio e outros  hidrocarbonetos leves e compostos, permitindo a substituição parcial do combustível primário  e a redução das emissões de hidrocarbonetos, material particulado, óxidos de nitrogênio, além dos monóxido e dióxido de carbono.

  • OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
  • Desenvolver  catalisador eficiente que promova a geração de produtos de maior conteúdo energético do que o etanol hidratado via reforma catalítica;
  • Determinar a composição dos produtos da reforma autotérmica em escala de laboratório em testes catalíticos de reforma;
  • Dimensionar e construir o reformador sobre a perspectiva da disponibilidade térmica, layout do motor/veículo e das características da reforma;
  • Avaliar a operação do reformador: eficiência de conversão; potencial de incremento energético; composição do efluente;
  • Avaliar a operação do motor em bancada com adição de gases sintéticos: desempenho, consumo e emissões;
  • Instalar o  reformador em um motor de combustão interna para testes com os gases de reforma;
  • Avaliar a operação integrada do reformador ao  motor de combustão interna em dinamômetro, quantificando a composição do efluente da reforma; a eficiência de conversão; o potencial de enriquecimento; o desempenho e o consumo;
  • Iniciar  testes de estudos de layout do novo sistema a ser integrado em veículos FIAT;
  • Realizar a verificação preliminar do reformador, integrado no sistema de admissão com sobrepressão (motor turbo).

PUC-MG
UFMG
FCA
Umicore
Marelli